Procurando algo?

ERRAR FAZ PARTE DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM

Erro e acerto são partes complementares do processo de desenvolvimento da espécie humana. Por que deveríamos questionar o conceito negativo que temos do "erro"?

Esta publicação apresenta algumas ideias e recortes sobre educação retiradas de materiais da profª Elvira Souza Lima. A autora é pesquisadora em desenvolvimento humano, com formação em neurociências, psicologia, antropologia e música. Trabalha com pesquisa aplicada às áreas de educação, mídia e cultura.

O SIGNIFICADO DO ERRO

Errar não é meramente a ausência do acerto. Por trás do erro está uma organização de elementos na consciência, encadeamento de informações percebidas e armazenadas na memória. Errar é humano, um dito muito popular, expressa uma qualificação da espécie: no caminho para o acerto podem estar várias situações de erro, de equívoco.

O que nos leva a questionar o conceito negativo que temos do “erro” no âmbito da educação escolar. Esta é uma visão parcial ou, talvez, mesmo injusta de erro. Erro e acerto são partes complementares do processo de desenvolvimento da espécie humana. Podemos dizer que foram os erros contínuos e as tentativas renovadas que levaram ao encadeamento de acertos que constituem a cultura, a ciência e a tecnologia. Erro e acerto também podem ser pensados como partes complementares do processo de aprendizagem. “Na escola, por trás de cada erro do aluno, existe, de fato, um acervo de acertos dos quais ele se apropriou no ensinamentos anteriores que recebeu de seus professores. Errar é tanto parte do conhecimento como do desconhecimento” nos diz a Profª Elvira Souza Lima.

O conhecimento humano é formado por várias categorias. Elas não são dissociadas totalmente, mas guardam suas especificidades. Temos o conhecimento cotidiano, o científico, o linguístico, o estético. Estes conhecimentos podem ser agrupados em duas grandes classes: conhecimento formal e conhecimento informal.

É parte da rotina do estudante de música o processo de repetição de seções. Ensaiar, ensaiar, ensaiar… estudar, repetir, estudar…. escalas, arpejos e escalas novamente. Será possivel conviver bem com os erros? Esperamos que sim. Afinal, eles fazem parte do cotidiano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou desta publicação?